microcirurgia_Nakamoto.jpg

Tratamento das mãos e punhos

 

CIRURGIA DA MÃO E MICROCIRURGIA

As mãos e suas habilidades representam uma grande contribuição na evolução da humanidade. Sua refinada sensibilidade permitiu o desempenho de tarefas precisas e complexas. Com o avanço da medicina, as lesões e os traumatismos na mão ganharam uma abordagem especializada.

 

Mão: especialidade médica

As estruturas das mãos são tão delicadas que lesões nesta região requerem conhecimento anatômico detalhado, técnica cirúrgica de alta precisão, uso de implantes resistentes, porém delicados, e esforços de orientação para reabilitação funcional. Por isso, a cirurgia da mão é uma especialidade médica com residência específica.

E o que é a ​​​​Microcirurgia?

A microcirurgia é uma técnica cirúrgica baseada no uso de aparelhos de aumento (microscópio ou lupa cirúrgicos) e de instrumentos especiais para a manipulação de estruturas anatômicas de pequenas dimensões, na ordem de milímetros. Essa técnica aumenta muito a precisão do procedimento, sendo indicada para conexão de pequenos vasos e das fibras de nervos lesados.

Com essa técnica é possível reimplantar dedos amputados, transplantar tecidos diversos e reconstruir perdas ocasionadas por acidentes, cirurgias oncológicas e infecções.

Quando necessário, conte com um ortopedista especialista em mãos.

 

TERAPEUTA DA MÃO: UM GRANDE ALIADO DO CIRURGIÃO

A Reabilitação da Mão no Brasil começou na década de setenta. Ortopedistas cirurgiões da mão, viajando para outros países, tomaram conhecimento do trabalho do Terapeuta da Mão e trouxeram a ideia para cá, para oferecer uma melhor recuperação funcional das mãos após fraturas e lesões que envolvem ossos, músculos, ligamentos, nervos periféricos e articulações, e também em casos congênitos.

 

O Terapeuta da Mão é um profissional especializado, formado em Terapia Ocupacional ou Fisioterapia, com conhecimento adicional em anatomia funcional, biomecânica da mão e do membro superior, ergonomia e confecções de tecnologias assistivas.

 

Tem conhecimento científico sobre os procedimentos clínicos e cirúrgicos, sobre cicatrização e cuidados com as feridas, cinesiologia e confecção de órteses (recursos terapêuticos auxiliares para posicionamento, e/ou proteção, prevenindo deformidades) e aplicação de bandagens para posicionamento, melhora da ação motora, restrição e mobilidade do membro.

 

Os benefícios da Terapia da Mão

 

A Terapia da Mão tem como benefícios o aumento da amplitude de movimento e da força de preensão e pinças, remodelagem cicatricial para prevenção de aderências e queloides, redução do déficit da sensibilidade, redução de edema e da dor e a prevenção da rigidez da articulação.

 

É fundamental para o restabelecimento das funções motoras e treino da motricidade fina e média, viso-motora, recuperando as habilidades de pegar, soltar, dissociar, manipular e executar uma atividade funcional.

 

É um trabalho em equipe

 

Apoiando-se em métodos de tratamento previamente discutidos com a equipe médica, o Terapeuta da Mão atua após procedimentos clínicos e cirúrgicos dos membros superiores.

 

Trabalha em conjunto com o ortopedista especialista em mão, em uma parceria fundamental para a melhor orientação do paciente, desde os cuidados pré-operatórios e durante todo o tratamento, promovendo a reabilitação no menor tempo possível.

 

O processo de reabilitação das mãos não é fácil e às vezes pode até ser dolorido. Por isso, a melhora de cada paciente é um verdadeiro trabalho em equipe, que envolve o médico, o terapeuta e também o próprio paciente, que precisa cooperar comparecendo às sessões indicadas e seguindo as recomendações médicas.

 

Por isso, acreditamos que mãos dadas podem mais.

 

Raquel Luz é Terapeuta da Mão da Santa Casa de São Paulo e do Instituto Vita e contribuiu com este texto. @raquelferrazluz

 

SOBRE O USO DE ÓRTESES

As órteses são dispositivos aplicados a um segmento do corpo para promover seu funcionamento normal. Óculos e aparelhos dentários podem ser considerados órteses, por exemplo. Órtese não é prótese; a prótese substitui um segmento do corpo (como, por exemplo, a prótese de fêmur).

 

Na ortopedia especializada em mãos, a órtese é aplicada em punhos, mãos e dedos, em uma ou mais articulações, tendo como funções: estabilizar ou imobilizar uma região, prevenir ou corrigir deformidades, proteger contra lesões, trazer alívio total ou parcial do peso corporal ou da articulação e, fundamentalmente, ajudar na reabilitação funcional da mão.

 

E quais tipos de órteses existem?

 

As órteses podem ser feitas industrialmente, mas no tratamento de doenças das mãos, são, em geral, feitas sob medida para cada paciente. Quem costuma fazer as órteses são os terapeutas ocupacionais ou terapeutas de mão, pois elas são, frequentemente, usadas no processo de reabilitação. Com o progresso do tratamento, a órtese vai sendo ajustada, já que é confeccionada com um material com memória e possível a sua manipulação.

 

Os tipos de órteses variam de acordo com a necessidade do paciente. Existem as estáticas, articuladas (utilizadas para posicionamento do membro), as dinâmicas, (utilizadas para o fortalecimento de músculos) e as funcionais (que se encaixam na vida diária do paciente). Podem ser seriadas também, de forma a promover o ganho progressivo de amplitude de movimento. Elas podem ser feitas de material termoplástico ou neoprene, com suporte de velcros e/ou elásticos. Seja como for, as órteses devem ser confortáveis, de fácil colocação e limpeza. E, principalmente, livres de pontos de pressão.

 

Quais as vantagens no uso de órteses?

 

Entre as muitas vantagens, as órteses proporcionam tratamentos menos dolorosos, mais modernos e períodos de recuperação mais curtos, possibilitando um retorno mais rápido às atividades diárias.

 

Pergunte a seu médico especialista em mãos sobre as órteses. Elas podem dar uma bela mãozinha no seu tratamento.

 

7 MANEIRAS DE EXERCITAR AS MÃOS

O alongamento diário das mãos e punhos pode ajudar a prevenir uma série de lesões e doenças na região, pois aumenta a flexibilidade e favorece a circulação. A artrite que acomete as articulações, por exemplo, é uma das doenças que pode ter o alongamento como aliado.

 

O importante é incorporar esses exercícios no dia a dia. Listamos aqui 7 movimentos que podem ser muito benéficos para a saúde das mãos, dedos e punhos.

 

1 – Alongando os punhos: Cerre o punho lentamente (sem apertar) e mantenha-o assim por alguns segundos. O polegar deve ficar sobre os outros dedos (não por dentro). Abra lentamente a mão e repita o exercício. Alongue o punho - mão aberta para cima e para baixo - mantendo o braço esticado. A outra mão pode dar uma forcinha.

 

2 – Dobrando os dedos: Estenda a palma da mão e dobre cada um dos dedos, um de cada vez. Depois, um dedo de cada vez deve encostar a parte macia do polegar, fazendo o formato de um “O”. Por fim, dobre as pontas dos dedos, lembrando as garras de um felino.

 

3 – Alongando os dedos: Coloque as mãos espalmadas sobre uma mesa. Primeiro estique os dedos o máximo possível. Relaxe. Levante e abaixe um dedo por vez. No final, levante todos os dedos e abaixe-os ao mesmo tempo.

 

4 - Chacoalhando as mãos: Entrelace os dedos das mãos e estenda o braço à frente do corpo, mantendo a posição por alguns segundos. Chacoalhe as mãos com os dedos soltos. Isso ajuda o sangue circular e a relaxar músculos e articulações.

 

5 – Apertando uma bola: Segure uma bola pequena macia na mão e aperte-a com força durante alguns segundos antes de soltar. Faça algumas repetições.

 

6 – Tocando um instrumento: Mesmo que você não tenha técnica, dedilhar as teclas de um piano pode ajudar a exercitar as mãos. Tocar um instrumento de corda, como violão ou violino, também pode ser muito benéfico.

 

7 – Massageando as mãos: Coloque as mãos em água morna e mexa os dedos lá dentro. Depois, com o polegar de uma mão, massageie a outra. Isso ajuda no relaxamento de músculos e articulações.

 

Lembre-se, é importante que, ao menor sinal de desconforto, você procure o médico ortopedista especialista em mãos para uma avaliação.