Mães e Mãos

A gravidez é um momento mágico na vida de uma mulher. Quando o bebê chega ao mundo, o toque das mãos é uma das formas de conexão entre ele e sua mãe. No entanto, existem doenças que podem atingir as mãos e punhos das mulheres no período da gravidez e do pós-parto, atrapalhando muito este momento tão especial. E mesmo mãos saudáveis merecem atenção nesta fase: existem cuidados que devem ser tomados na hora de pegar o bebê, segurar no colo ou mesmo amamentar.


Quais doenças podem atingir as mãos na gravidez?


Na gravidez, a mulher naturalmente retém líquidos e, por consequência, fica inchada. As mãos também não escapam. No entanto, quando o inchaço nas mãos (e até mesmo nos punhos, braços e ombros) é acompanhado de dor, queimação ou formigamento, perda de força e dormência, pode ser sinal da Síndrome do Túnel do Carpo.


O túnel do carpo é um pequeno canal que fica no punho, por onde passa um nervo importante. Com a retenção de líquido, a pressão dentro do túnel aumenta, comprimindo esse nervo e comprometendo o bom funcionamento das mãos, atrapalhando o dia a dia e até o sono da gestante. A síndrome costuma ser passageira, geralmente sumindo nos primeiros dias ou meses após o parto. Em alguns casos, porém, a intensidade e a duração do quadro pode ser maior.


Outra doença muito comum nesta fase é Tenossinovite de De Quervain ou Tendinite Gestacional. É a inflamação dos tendões dos punhos das gestantes (mais precisamente da bainha do abdutor longo e do extensor curto do polegar) e pode ser causada pelas alterações hormonais dessa fase. O problema geralmente surge na gravidez, mas pode piorar no pós-parto, sobretudo pela rotina de cuidados com o bebê (pegar no colo, dar banho, trocar fralda, ninar e amamentar), que pode forçar ainda mais a área inflamada. Os sintomas são dor nos punhos e fraqueza, principalmente nos movimentos de torção e desvio do mesmo.


Como é feito o tratamento?


Diante de qualquer desconforto ou dor nas mãos, é importante procurar um médico especialista em mãos. Ele pode indicar o tratamento com imobilização e reabilitação, e mesmo antes do nascimento do bebê podem ser ministradas medicações específicas. Casos mais complicados e persistentes, uma intervenção cirúrgica se faz necessária.


E para prevenção de lesões nas mãos, alguma recomendação?


Manusear um bebê recém-nascido é um grande desafio, principalmente para as mães de primeira viagem. Algumas medidas ajudam a prevenir ou aliviar as dores que podem surgir nas mãos:


  • Sempre que manipular o bebê, evite fazer muita força com o polegar. Você pode mantê-lo aberto (separado da mão) ou dobrado (contraindo em direção ao bebê).

  • Na hora de amamentar, procure segurar o bebê em uma posição confortável, sempre apoiado no antebraço, sem requisitar o esforço da mão. O uso de uma almofada apropriada pode ajudar.

  • Faça movimentos circulares com os punhos de tempos em tempos e várias vezes ao dia, para relaxar os ligamentos e alongar os músculos.

  • Aproveite qualquer tempinho para deixar todo o membro superior relaxado, nem que por cinco minutos, entre segurar seu bebê, trocar fraldas e amamentar.

  • Alongue todo o membro superior e região cervical. Lembre-se que todo o movimento é uma combinação de movimentos de todo o corpo. Se sua coluna e ombro estiverem cansados, você fará mais força com os braços e mãos .

Curta muito esse momento tão especial sabendo que, sempre que precisar, pode contar com as mãos do médico especialista.



Porque mãos dadas podem mais.

* Dra. Leila Fernandes Araujo é ginecologista e obstetra da Clínica Essere e colaborou com o texto.


Dr. João Nakamoto

CRM 104.340

Formado em Medicina pela USP e especializado em Ortopedia e Traumatologia e em Cirurgia da Mão pela USP, responsável pelo Grupo de Mão e Microcirurgia da UNICAMP, médico do Núcleo de Cirurgia da Mão do Hospital Sírio Libanês e médico do Grupo de Mão do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.



#gravidez #síndromedotúneldocarpo #tendinite #DeQuervain

Posts Relacionados

Ver tudo

Você também vai gostar de ler: